domingo, 2 de setembro de 2012

Inconstâncias.
A mutabilidade imanente é.
A única constante é sê-la.
Forçar-se-a em permanecer,
Mas basta uma estação para desflorescer.
O vazio só tornará ao peito daquele que o fez por ser.
Daquele que acreditou possuir tanto nisto que lho deixa.
Agregar-se-a, intrínseco ao querer, a dor de perder o outro.
O Sentir se faz definível em tamanhas outras línguas,
mas aqui algo próprio há,
tido por universal e inevitável até,
mesmo no plural pode ser só seu.
Saudades.

pelo o que se deixa
pelo o que será
antecipar

Nenhum comentário:

Postar um comentário